A Prisão Mamertina – Onde São Pedro e São Paulo Ficaram Presos

Conheceremos neste artigo a Prisão Mamertina – onde São Pedro e São Paulo ficaram presos. Nos primeiros séculos do Cristianismo, houve uma perseguição contra os Cristãos, ocasionando em muitas prisões. Muitos foram os perseguidos e entre eles estão os Santos Pedro e Paulo.

A História da Prisão Mamertina

A Prisão Mamertina (em latim: Carcere Mamertino) fica localizada perto do Fórum Romano e foi construída durante a época de Anco Marzio, um dos lendários reis que governaram Roma, por volta do século VIII-VII AC.

RECONSTRUÇÃO (por Jean-Claude Giovin)
RECONSTRUÇÃO (por Jean-Claude Giovin) Uma possível reconstrução da Prisão Mamertina. O nível superior é um posto de guarda, o inferior (Tullianum) é o ambiente da prisão. Os contatos são feitos através de um alçapão.

 

Inclusive, o nome do rei é uma das versões aceitas para a origem do nome da prisão. Outra versão, de acordo com algumas fontes, seria uma homenagem ao deus sabino Mamers, ou Marte, para os romanos.

É a primeira prisão estadual da Roma Antiga e uma das primeiras do mundo. Seu nome na verdade é prisão Tullianum, mas é mais conhecida como Prisão Mamertina. É um dos edifícios mais antigos de Roma.

Há alguns anos houve uma longa restauração e foi encontrado um corpo no local. O teste de datação por carbono concluiu que os ossos datavam de cerca do ano mil antes de Cristo, quando Roma ainda nem existia.

Especialistas acreditam que o local onde se encontra a prisão foi construído por volta de 640 AC e que era destinado a ser uma espécie de Templo, pois havia uma nascente de água. A utilidade do local como uma prisão só aconteceu anos mais tarde.

A estrutura é composta por pelo menos quatro níveis. Acima do Tullianum e da prisão construída sobre ele, fica a Capela do Santuário do Crucifixo e a Igreja de San Giuseppe dei Falegnami, do século XVII. Atualmente a Prisão Mamertina está aberta ao público para visitações.

A Prisão Mamertina - Onde São Pedro e São Paulo Ficaram Presos. Atual fachada.
A Prisão Mamertina – Onde São Pedro e São Paulo Ficaram Presos. Atual fachada.

Tradição da Prisão de São Pedro e São Paulo na Prisão Mamertina

A tradição que afirma que a Prisão Mamertina recebeu São Pedro e São Paulo como prisioneiros é muito antiga e a transformação da prisão em igreja remonta ao século IV, a pedido do Papa Silvestre I, mais especificamente em 314 DC. Isso levou os arqueólogos a considerarem provável essa informação a respeito dos Santos.

Jesus com Pedro. Afresco encontrado no Tullianum.
Jesus com Pedro. Afresco encontrado no Tullianum.

 

A hagiografia Cristã fez da cela inferior (Tullianum), que é acessível por uma escada, e da fonte de água, o lugar onde Pedro e Paulo batizavam os companheiros de cela Cristãos e também os convertidos.

Há uma história, de origem medieval, que São Pedro ao descer ao Tullianum, no segundo nível, caiu e bateu a cabeça na parede, deixando uma marca na pedra. O local dessa marca é protegido por uma grade desde 1720.

Primeiro nível da Prisão Mamertina
Primeiro nível da Prisão Mamertina

 

A colisão, como por milagre, gerou um fluxo de água salvadora e milagrosa. Através dela, São Pedro e São Paulo converteram e batizaram alguns guardas da prisão. Dois deles tornaram-se mártires: São Processo e São Martiniano. Este fato favoreceu então a conservação do local como um lugar sagrado e o surgimento de romarias.

No entanto, São Pedro e São Paulo não morreram na Prisão Mamertina. São Pedro foi levado para a colina do Vaticano e São Paulo para o Acque Salvie, atualmente Abadia de Tre Fontane.

Segundo nível da Prisão Mamertina - Tullianum
Segundo nível da Prisão Mamertina – Tullianum

O Horror que Ocorria na Prisão Mamertina

A Prisão Mamertina era um local horrível de confinamento para os presos. O retórico Calpurnio Flacco escreveu sobre ela:

“Vi a prisão pública construída com grandes rochedos. Há aberturas estreitas que dão apenas um pouco de luz naquela escuridão. Ali ressoam os golpes de chicote e as mãos são oprimidas pelas correntes. A cada vez que o barulho da porta de ferro abre, os prisioneiros se abalam.”

O historiador Sallust fornece uma descrição precisa da prisão de Tullianum:

“Na prisão há um lugar chamado Tulliano, um pouco à esquerda subindo, afundado cerca de doze metros abaixo do solo. É totalmente fechada por paredes robustas e, acima dela, por um teto, constituído por uma abóbada de pedra. Seu aparência é repulsiva.”

 

Leia também:
A História de Padre Pio de Pietrelcina

Você Também Pode Gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas