A História de Santa Luzia – A Protetora dos Olhos

O nome “Luzia” é originado do latim e significa “Portadora da Luz”. Conheceremos neste artigo a história de Santa Luzia – a Protetora dos Olhos.

A História de Santa Luzia – A Protetora dos Olhos

Luzia nasceu em Siracusa, uma comuna italiana da região da Sicília, no final do século III. Era de uma família rica e nobre. Recebeu uma formação Cristã e por conta disso, fez um voto de castidade para sua vida.

Seu pai faleceu quando ela ainda era pequena, ficando com os cuidados da mãe, Eutichia, que sofria de uma hemorragia e já havia consultado com muitos médicos, sem obter nenhum resultado.

Luzia era uma filha muito carinhosa e sempre estava ao lado de sua mãe, prestando-lhe com afeto todos os cuidados necessários.

A História de Santa Luzia - A Protetora dos Olhos
A História de Santa Luzia – A Protetora dos Olhos

 

Luzia ficou sabendo que, com a morte do pai, sua mãe havia arranjado um casamento para ela, com um jovem pagão de uma rica família.

Propôs então à mãe enferma o seguinte: ela precisaria de uns dias para pensar sobre o casamento, e enquanto isso, iriam juntas à Catânia, visitar o túmulo de Santa Agatha, implorar por um milagre para que a mãe fosse curada.

Combinou com sua mãe que se a cura se realizasse, isso seria uma confirmação para que o casamento não ocorresse. Sua mãe aceitou a proposta.

Santa Luzia e sua Mãe vão para Catânia Visitar o Túmulo de Santa Agatha

Partiram então para Catânia. No dia sagrado de Santa Agatha, 5 de fevereiro, elas chegaram em Catânia e ouviram a leitura do Evangelho.

Santa Luzia sugeriu à sua mãe que tocasse no sepulcro de Santa Agatha e pedisse com fé para que a curasse. As duas aproximaram-se do túmulo, ajoelharam-se e começaram a rezar, em meio às lágrimas para Santa Agatha.

Neste momento, Santa Luzia teve uma visão: viu uma horda de anjos e também Santa Agatha que lhe disse:

“Luzia, minha irmã, virgem de Deus, por que você me pergunta o que você mesma pode conceder? Sua fé beneficiou sua mãe e agora ela ficou curada. Você se consagrou a Deus em sua virgindade e, portanto, assim como para mim a cidade de Catânia está cheia de graças do céu, a cidade de Siracusa também estará para você.”

Leia também:
A História de Maria Goretti – a Santa da Castidade

O milagre aconteceu e sua mãe ficou curada. Dessa forma, Santa Luzia voltou para Siracusa e teve a certeza de qual era a vontade de Deus em relação à sua vida.

Santa Luzia se Dedica a Deus

Santa Luzia então vendeu todos os seus bens para doar tudo aos pobres e começa a se dedicar inteiramente a Deus, conforme era a vontade em seu coração.

Pintura de Santa Luzia - A Protetora dos Olhos
Pintura de Santa Luzia – A Protetora dos Olhos

 

A notícia se espalhou pela cidade e chegou aos ouvidos daquele jovem que sua mãe queria que ela se casasse. Decepcionado e revoltado com a decisão de Santa Luzia, ele resolveu vingar-se e denunciou-a como cristã ao prefeito de Siracusa, Pascasio.

A Prisão de Santa Luzia

O ano era 304 e os violentos Imperadores Romanos Diocleciano e Maximiano haviam emitido um decreto de perseguição e extermínio contra os Cristãos.

Em todo o Império vários Cristãos foram perseguidos e morreram nas mais horríveis condições que se possa imaginar. Santa Luzia foi presa e levada pelos soldados ao tribunal do prefeito Pascasio.

Leia também:
A Prisão Mamertina – Onde São Pedro e São Paulo Ficaram Presos

Santa Luzia, em momento algum ela demonstrava revolta ou desespero, muito pelo contrário, ela parecia muito tranquila e feliz.

Por saber que Santa Luzia era de uma família nobre e por ser muito nova, o prefeito a princípio a tratou de uma forma branda, sugerindo que ela abandonasse as “superstições” Cristãs e realizasse um ritual para oferecer incenso aos ídolos pagãos. Ele também chamo sua atenção por ter “desperdiçado” seu dote.

Santa Luzia respondeu que era Cristã e não adorava falsas divindades, mas sim o verdadeiro Deus que está no céu. E quanto ao seu dote, respondeu que apenas ela poderia dispor dele, e por isso quis distribuir para os órfãos, viúvas e necessitados.

Qual foi o Martírio de Santa Luzia?

Diante da resistência de Santa Luzia em não abrir mão de sua crença, o prefeito Pascasio decidiu cumprir a ordem do Imperador. Santa Luzia, com muita serenidade e firmeza falou:

“Se procuras agradar ao seu Imperador, eu quero agradar ao meu Jesus.”

Pascasio, muito irritado, ordenou que Santa Luzia fosse arrastada para um lugar infame, e para sua vergonha, pediu que o povo fosse reunido para assistir.

Leia também:
Irmã Dulce a Primeira Santa Genuinamente Brasileira

Mas então ocorreu um milagre: ninguém conseguia remover Santa Luzia do lugar onde ela estava. O Espírito Santo deu a ela uma imobilidade que mesmo os soldados mais fortes não conseguiam tirá-la do lugar.

Usaram cordas para amarrar seus pés e suas mãos. Vários soldados tentaram puxar, mas Santa Luzia permanecia inabalável.

O prefeito, surpreso e muito irritado, mandou trazer alguns bois para puxá-la, mas sem sucesso. Ela permanecia imóvel.

Pascasio, furioso, gritou com Santa Luzia perguntando o que eram aquelas artes mágicas? E em seguida, ordenou que acendessem uma fogueira ao redor da Santa, e que jogassem piche e azeite, para que fosse consumida pelo fogo mais rápido.

Mas foi tudo em vão. As chamas da fogueira não atingiam Santa Luzia, que estava serena e sorria, cantando músicas para Deus.

Como Morreu Santa Luzia?

Pascasio mandou apagar a fogueira e chamou um carrasco com sua espada. Antes de desferir o golpe, Santa Luzia de joelhos orou e falou a todas pessoas presentes:

“Em breve a paz será dada à Igreja de Deus. Diocleciano e Maximiano cairão do Império e terão um fim miserável. Como a cidade de Catânia tem veneração por Santa Agatha, vocês também vão me honrar, pela graça de nosso Senhor Jesus Cristo, guardando os mandamentos de Deus de coração.”

Proferiu essas palavras e caiu com o golpe da espada, que acabou com sua preciosa vida. A decapitação de Santa Luzia aconteceu em 13 de dezembro de 304.

Conta-se que antes da decapitação teriam arrancado os seus olhos.

O Culto à Santa Luzia

Eutichia, a mãe de Santa Luzia, juntamente com outras mulheres de Siracusa, enterraram o corpo da Santa em uma tumba, na entrada das catacumbas da Acradina.

Esculpiram uma pomba e a colocaram no túmulo, para anunciar a paz ao mundo. E realmente ocorreu um período de paz para a Igreja e os Cristãos, anos mais tarde, com a chegada de Constantino ao poder.

Já o prefeito Pascasio, Diocleciano e Maximiano morreram de forma miserável.

No local da morte de Santa Luzia foi construído um lindo templo, no ano 310. O Papa Gregório, o Grande, propagou o culto à Santa Luzia e também incluiu seu nome no Cânon da Missa.

O culto e a devoção à Santa se espalharam rapidamente após sua morte. Em 1384, o Bispo de Ravenna dedicou um tempo à ela naquela cidade.

Dante Alighieri era muito devoto de Santa Luzia. Ele atribuía a cura de enfermidade do olho à intercessão da Santa. Em homenagem, fez de Santa Luzia uma das protagonistas do clássico “Divina Comédia”.

Outro famoso devoto de Santa Luzia era Cristóvão Colombo. Ele homenageou a Santa dando o seu nome para uma ilha das Pequenas Antilhas.

Em 878 Siracusa caiu nas mãos dos sarracenos. O corpo de Santa Luzia foi escondido nas catacumbas. Em 1204 o corpo foi levado para Veneza, onde é atualmente venerado na Igreja Paroquial de S. Geremia, em um altar lateral.

O Estado de Conservação do Corpo de Santa Luzia

O Cardeal Patriarca de Veneza fez o reconhecimento jurídico do corpo, em 1904, e confirmou a maravilhosa conservação. O corpo de Santa Luzia é mumificado, os pés estão intactos e há um prego no pé direito.

O corpo tem uma tonalidade amarela, a cabeça é mais preta e um pouco pequena. Falta grande parte do braço esquerdo, que foi concedido em várias ocasiões como relíquia, ao Papas.

Os olhos de Santa Luzia são maravilhosos. Essas relíquias de Santa Luzia foram instrumentos das maravilhas de Deus, principalmente para as enfermidades dos olhos.

Leia também:
São Pedro – O Primeiro Papa da Igreja
Quem foi Carlo Acutis

Você Também Pode Gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas